doutoramento políticas públicas

metodologias em políticas públicas: o método comparativo

Ano letivo 2017/18

Docente: Michael Baum

Créditos (ECTS): 6
Horas de aula: 16
Número de sessões: 8
Área científica: métodos de pesquisa social
Língua de ensino: português

Semestre letivo: 1.º
Horário: segunda-feira, das 18h00 às 20h00
Calendário e Salas: consulte aqui

Objetivos

Promover a capacidade para identificar, analisar e debater problemas e procedimentos associados a estratégias metodológicas de tipo comparativo, bem como conceber e aplicar desenhos de pesquisa comparativos a projetos de investigação no campo das políticas públicas.

Programa

1. O que é o método comparativo? [O método comparativo e outros métodos; objetivos, procedimentos e resultados]

2. Porquê comparar? [Justificações para a comparação]

3. Comparar o quê? [A seleção dos casos e os riscos de enviesamento em pesquisa comparativa]

4. Como comparar? [Desenhos de pesquisa comparativa]

5. Problemas da comparação [“Muitas variáveis, poucos casos”]

6. Tempo e pesquisa comparativa

Bibliografia básica

Collier, David (1991) “The comparative method: two decades of change”, em D. Rustow e Kenneth P. Erickson (orgs.), Comparative Political Dynamics: Global Research Perspectives, Nova Iorque, Harper Collins Publishers.

Lijpart, Arend (1971) “Comparative politics and comparative method”, American Political Science Review, 65,3, pp. 682-693

George, Alexander L., e Andrew Bennett (2005), Case Studies and Theory Development in the Social Sciences, Cambridge, Cambridge University Press.

Przeworski, Adam, e Henry Tune (1970), The Logic of Comparative Social Inquiry, Nova Iorque, John Wiley & Sons.

Ragin, Charles C. (1987), The Comparative Method. Moving Beyond Qualitative and Quantitative Strategies, Berkeley, University of California Press.

Sartori, G., e Leonardo Morlino (1991), La Comparación en las Ciencias Sociales, Madrid, Alianza Editorial.

Smelser, Neil (1976), Comparative Methods in the Social Sciences, Englewood Cliffs, NJ, Prentice-Hall.

Avaliação

Participação nos seminários, supondo leitura cuidadosa da bibliografia de trabalho (15%). Apresentação individual e discussão em aula de textos selecionados (25%). Ensaio individual escrito com a extensão máxima de 10 páginas (50%).

[versão completa disponível em Fénix]